BRT, Mobilidade e Segurança

Independente da sua eficácia, seja ela em um médio ou longo prazo, a adoção do modal BRT (Bus Rapid Transit) para transportes públicos vai muito mais além de sua operação e disponibilização para a população. Existe questões relacionadas a segurança na implantação desse sistema que pode colocar em cheque toda sua credibilidade.

Segundo estudo realizado pela EMBARQ, e publicado como diretrizes no planejamento viário com foco nos BRTs, vários são os fatores que contribuem para acidentes nos grandes corredores viários. Alguns deles são:

  • Pedestres correspondem a maioria das fatalidades ocorridas em todos os corredores de ônibus.
  • Segurança em sistemas BRT e corredores de ônibus depende da concepção global da via e não apenas da infraestrutura dos ônibus.

Esse documento é um manual completíssimo para um planejamento realmente eficaz na adoção de BRTs. Muitos detalhes são analisados, estudados e algumas soluções são propostas. Coisas como fórmula para calcular o atraso de pedestres para projetar corretamente as travessias em meio de quadra, infraestrutura para bicicletas e vegetação, uso de passarelas, dentre outros pontos são abordados em profundidade pelo documento.

Imagem

Com esse documento em mãos não tem como uma implantação de BRT em uma grande cidade não ser meticulosamente estudada e BEM projetada. Os riscos podem ser cuidadosamente analisados de maneira que os investimentos (altíssimos nessas mega intervenções) sejam aplicados assertivamente e sem desperdícios para gerações e gerações.

“Segurança Viária em Corredores de Ônibus, diretrizes para integrar segurança viária ao planejamento, projeto e operação de sistemas BRT, corredores e faixas de ônibus” é um documento cuja leitura é OBRIGATÓRIA para nossas secretarias de transportes e mobilidade urbana.

Recomendo !