Thanksgiving menos profano

Hoje é celebrado nos Estados Unidos o dia de Ação de Graças ou, do inglês, Thanksgiving. Não vou me ater ao caráter mais humano desta data onde é comemorado o dia da gratidão junto a famíliares e amigos. Quero salientar o outro lado do feriado: digamos que mostrar um lado mais profano !

Não é particularidade desta data, mas todo feriado que se preze tem um lado mais mundano. Normalmente a grande maioria das pessoas não está nem aí para o propósito daquela data. Quer ver? Carnaval é sinônimo de quê? Frevo, trio-elétrico e escola de samba, claro! 12 de Outubro é pra correr no shopping e comprar presente para os filhos. São João é quase sinônimo para forró. Lembrar ou saber que o Carnaval foi originalmente uma celebração dos gregos pela fertilidade do solo, dia 12 é o dia da padroeira do Brasil (Nossa Senhora Aparecida) e São João é uma tradição pagã para celebrar o solstício de verão são meros detalhes. Com o Thanksgiving não seria diferente. O outro lado desta data está muito associado a compras, preços baratos, filas intermináveis, tumulto em lojas e tudo que rege o universo consumista.

Tive a oportunidade de pegar uma dessas filas a título de experiência. Experiência mesmo, pois pela minha posição já era certo que só conseguiria pegar o resto do resto, isso se houvesse resto. É impressionante como a sexta pós feriado movimenta os consumidores. Na verdade as filas começam no final da noite da quinta-feira até as lojas abrirem, por volta das 8 horas do dia seguinte (sexta). Essa típica sexta pós Thanksgiving é chamada de Black Friday.

 

É um verdadeiro consumo desenfreado. O consumo pelo ato de consumir e não pela necessidade. O consumo para aproveitar o preço baixo independente da utilidade do produto. Atualmente, inclusive, este padrão tem evoluido um pouco por conta da tecnologia. A pechincha chega no seu smartphone enquanto vc está na fila de um concorrente. Esforço zero em saber onde estão os melhores preços. E a pergunta que não quer calar é: e onde fica o espírito do Thanksgiving?

Não quero ser hipócrita com essa história de não poder comprar a qualquer custo. Mas nunca é demais lembrar e refletir sobre o como consumir. Consumir deve ser um ato responsável, consciente e sustentável. De maneira que podemos sugerir que o consumo seja feito com inteligência.

Você precisa fazer deste ato um momento agradável, mas para satisfazer um conjunto de (reais) necessidades. Talvez a necessidade primeira seja de fato celebrar com familiares tudo que foi conquistado ao longo do ano que termina.

Trocar cotoveladas e empurrões por uma TV de LED de 50 polegadas com 50% OFF, terá seu preço. Lembre-se, o feriado chama-se Ação de Graças e não Ação de graça.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s